CONTOS PCD – Brenna Vitória

Sou a Brenna Vitória, tenho 20 anos e sou estudante de psicologia. Sou surda oralizada e espero que goste da leitura do meu artigo. Eu escrevi pra você leitor com carinho e amor. e vou contar a minha história de vida e a minha descoberta da surdez. É um prazer escrever esse artigo no Blog Cocleativa, seu canal da surdez.

Minha história de vida: 

Era uma vez uma menina bem tranquila que estudava no ensino fundamental, ela se chama Lidiane e naquela época ela tinha 16 ou 17 anos. Um belo dia ela encontrou o amor da sua vida, que se chama Wemmerson. Eles se apaixonaram na juventude, Leidiane descuidou-se e engravidou. Quando chegou o verão aconteceu uma coisa que ninguém estava esperando, era um dia normal eles estavam se preparando pra ir pra praia, mas Lidiane passou mal e foi pro hospital. Depois de algumas horas eu nasci e nesta situação todos da minha família estavam surpresos, pois parecia um milagre de Deus. 

Eu nasci prematura de 5 meses, e fiquei internada e em incubadora na UTI neo-natal por 3 meses. Foi necessário que eu tomasse muitos remédios, muito fortes e por isso  eu fiquei com sequelas. 

E o tempo passou até que chegou o dia de ir pra casa. Estavam todos felizes e alegres por isso. Desta forma, eu tenho dois aniversários sendo um o dia que nasci e outro é o dia que eu cheguei em casa no mês de outubro. Eu cresci uma menina linda, forte e saudável, mas ninguém suspeitava de nada e achava que era déficit de atenção. Porém, infelizmente não era e nem eu sabia, ficaram sabendo primeiro o que acontecia com a minha visão, pois eu tenho dois problemas na visão, a miopia e o estrabismo.

Já a descoberta da surdez demorou. O diagnóstico veio nos últimos anos do ensino fundamental. Só aí fui fazer audiometria e o médico falou que a minha surdez era sensorioneural de grau severo á direito e sensorioneural grau profundo á esquerdo. Depois desse diagnóstico, eu comecei a usar aparelho auditivo. Os profissionais fizeram o preparativo e deu certo. Voltei pra casa ansiosa e continuei indo pra escola até que o dia do meu primeiro aparelho auditivo chegou. Foi um grande dia, fiquei tão feliz! 

O primeiro som que ouvi foi da chuva, achei tão lindooooo,  a batida da porta do carro e  o clique quando tira foto no celular. Me lembro como se fosse ontem. 

Com o passar dos dias eu fui me acostumando no mundo do som e do ouvinte todos os dias era uma descoberta;  até hoje eu me assusto com qualquer barulho estranho e aleatório. Às vezes, dou cada grito, mesmo em casa e até nas ruas com som de carro, caminhão e moto, pois são novidade pra mim. 

 Ouvir os passarinhos cantando é lindooo, eu amo ouvir eles cantando e som da cachoeira, é uma sensação muito boa, eu consigo sentir a vibração do sons. É muito bom sentir a vibração da gota de água cair na mão, é tão relaxante. 

Com o tempo fui trocando o aparelho auditivo por modelos mais modernos. A noite é bom retirá-los e dormir no silêncio sem nenhum som para perturbar. Quando eu preciso acordar cedo pra alguma consulta e a minha mãe me cutuca aí eu acordo não ainda grita de chama o que nome não ouço nada. É bom ficar no silêncio, inclusive já me acostumei com ele, afinal em alguns momentos o mundo é muito barulhento. Contudo, ouvir música me emociona muito;  é algo muito importante pra mim desde que comecei a usar aparelho auditivo e dia a dia ouço coisas que  nunca ouvi desde o meu nascimento. 

Bom, esse já  é o quarto aparelho auditivo que eu estou usando, ele tem conexão com bluetooth. Eu tenho um iPhone 8 plus e estou amando usar esse aparelho com tecnologia mais avançada. É muito bom, pois posso ouvir individualmente, assistir séries, filmes, novelas, sendo que tudo que vou assistir no celular, posso assistir só com legenda ou ouvindo tudo com aparelho auditivo conectado no celular de acordo como a minha perda auditiva. E por uma perda muito grande, às vezes para conseguir entender  preciso de legenda automática. Já sou acostumada e amo assistir séries com o idioma original, ou inglês e com a legenda automática em português.

Agora vou contar um pouco das dificuldades que eu enfrento todos os dias por causa da minha surdez, afinal não é porque você está usando aparelho auditivo que quer dizer que  você está ouvindo tudo 100%.  

Nem sempre o aparelho auditivo ajuda, infelizmente eu tenho que ler os lábios da pessoa, pedir pra repetir, falar bem devagar e um pouco alto. Se alguém souber língua brasileira de sinais me ajuda bastante, só assim eu consigo compreender totalmente a conversa. Não é fácil, mas eu aprendi a lidar com a surdez da melhor maneira possível, e para mim é mais fácil entender voz de mulheres e de homem eu tenho maior dificuldade. Quando eu usava o aparelho auditivo analógico, que não tinha tecnologia suficiente, e ia pra igreja, no começo foi bom, mas com o passar do tempo eu percebi que o volume do microfone me incomodava, pois  não entendia nada da pregação, infelizmente na minha igreja não tem  acessibilidade. Muitas vezes dava microfonia no aparelho, o meu ouvido ficava doendo, mas nós estamos tentando melhorar. Agora a igreja já pensa em adaptar a pregação para eu poder acompanhar. 

Então por enquanto, quando vou pra igreja no domingo os meus pais ficam no culto e eu e os meus irmãos vamos pra escolinha bíblica de criança, assim lá eu consigo entender melhor. Além disso, eu amo desenhar, arte é vida e cura a alma. A arte é uma forma de expressar sentimentos e quando as palavras não são suficientes eu amo ler e desenhar.  Neste sentido eu tenho uma coleção de livros e gibis.

Infelizmente como a minha perda auditiva é muito grande, vou precisar fazer implante coclear e já estou no processo, porém estou bem animada e amei a experiência, pois foi incrível estar em Ribeirão Preto pela primeira vez. Em breve estarei lá novamente.

Minha faculdade de Psicologia 

Essa é a minha primeira experiência na faculdade, no começo eu estranhei um pouco a nova realidade, mas já estou me acostumando e estou amando o curso. Estou aprendendo muitas coisas novas e estou fazendo novas amizades. Uma vez a minha psicóloga me falou: “Você pode mudar o mundo ao seu redor!” Agora vejo que é exatamente isso que está acontecendo. 

Na faculdade tem mais acessibilidade e inclusão nas aulas. Lá tem aulas presenciais e on-line. Na aula presencial todos os professores são bem atenciosos e entendem as minhas dificuldades e se esforçam para eu ter uma qualidade melhor dentro da sala de aula. Obrigado a todos pela compreensão e fico muito feliz por ter contribuído com a adaptação do ambiente. Percebo que eles precisaram se adaptar e adaptar o ambiente para  boas  aulas presenciais e favoráveis ao meu aparelho auditivo. Desta forma, o meu aparelho tem um microfone no celular, e então dou para o professor segurar durante a aula e tudo que ele vai falando, vai direto pro meu aparelho aí eu entendo tudo o que está sendo explicado. Só tem um problema, quando alguns alunos perguntam para o professor não consigo entender o que eles estão perguntando, mas só nessa parte eu fico meio perdida e já me acostumei. Sabemos que nem sempre as coisas são do jeito que a gente quer, então temos que nos adaptar em qualquer situação. As aulas on-line são muito boas também, os professores colocaram legenda automática para que eu pudesse compreender melhor a aula. Além disso, a aula fica gravada para assistir novamente. 

Eu vou ser uma psicóloga surda que ouve, pois é, isso mesmo que você leu. Vou atender pessoas surdas e com autismo, além de ouvintes. Esse será meu público no futuro, e as pessoas com deficiência também.

Bom você deve estar se perguntando porque eu escolhi esse curso, é porque eu gosto muito de ler livros e conversar. Também poder ajudar pessoas com surdez. Quero ser uma psicóloga acessível no ambiente de trabalho. Eu amo Libras, ela é minha segunda língua. 

Conheci a Libras no ensino médio e me apaixonei. Me identifiquei com ela pra ter uma comunicação mais acessível para todos.

Eu não sou só uma estudante de psicologia, eu sou uma criadora de conteúdos nas redes sociais. Atualmente faço vídeos ensinando Libras, mostro o que eu sei passo a passo no Instagram. Lá eu posto vídeos de tutorial e quero convidar a todos para conhecer e ficar por dentro de tudo. Espero que no futuro quando eu estiver formada, possa ajudar muitas pessoas a cuidar da saúde mental, pois certamente o que você sente, importa sim!

Obrigada por ter lido até o final, fiz com muito amor e carinho esse artigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: