BENEFÍCIOS DO USO DO IMPLANTE COCLEAR E DO APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA NA ORELHA CONTRALATERAL EM INDIVÍDUOS PÓS-LINGUAL

A deficiência auditiva é um problema prevalente na população mundial podendo afetar a personalidade e o convívio social, principalmente em adultos e idosos devidos ao isolamento social, depressão e reclusão (OYANGUREN et al., 2010; BITTENCOURT et al., 2012;).

A utilização do aparelho de amplificação sonora individual (AASI) em indivíduos com deficiência auditiva de grau severo ou profundo geralmente tem poucos benefícios, em virtude da pouca informação auditiva que recebem decorrente da extensa lesão coclear (BANHARA et al., 2004). A comunicação desses indivíduos pode ser limitada, uma vez que não conseguem discriminar os sons da fala e compreender sentenças, são somente capazes de ouvir sons em alta intensidade, como: sinais de alarmes, sirenes etc. Portanto, nesses casos uma opção para aperfeiçoar as habilidades da audição e melhorar a comunicação é o implante coclear (IC) (OYANGUREN et al., 2010; BITTENCOURT et al., 2012;).

Habilitação de Implante Coclear em crianças não oralizadas

A audição é um dos sentidos mais primordiais para toda a vida e é muito importante para o desenvolvimento na primeira infância. A deficiência auditiva caracterizada pela perda total ou parcial da audição, influencia diretamente no desenvolvimento da criança, na qualidade e em todos os âmbitos da vida (emocional, psicológico, social e intelectual).

A importância do Fonoaudiólogo na cirurgia do Implante Coclear

O implante coclear (IC) é o tratamento mais adequado para a reabilitação da perda sensorioneural severa e profunda bilateral que não apresenta mais benefícios com o Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI). Para a adequada percepção sonora é importante a programação de cada eletrodo para que os níveis mínimos e máximos de estimulação elétrica em cada um deles ofereçam uma área dinâmica elétrica consistente.

Principais etiologias da perda auditiva

Em um paciente que chega no nosso consultório com perda auditiva do tipo neurossensorial, além do exame de audição –audiometria e/ou BERA, é realizada uma investigação das causas prováveis de surdez para tentar definir o aspecto de progressão dessa perda, além do grau de perda auditiva, e a necessidade de reabilitação, principalmente de forma maisContinuar lendo “Principais etiologias da perda auditiva”

Do outro lado da mesa: Como a fonoaudiologia mudou minha vida

Olá, leitor! Meu nome é Gabriel, tenho 24 anos e sou surdo oralizado, ou seja, nasci ouvinte e em algum momento da minha vida desenvolvi a surdez. Isso aconteceu em 2017, quando eu tinha 19 anos. Tive uma surdez súbita, literalmente dormi ouvindo e acordei surdo. Nessa época eu cursava Direito e nem imaginava oContinuar lendo “Do outro lado da mesa: Como a fonoaudiologia mudou minha vida”