TPAC e sua relação com a otite na infância

A otite média (OM) é um quadro muito comum na infância.  Entretanto, como e o porquê dela contribuir para o Transtorno de Processamento Auditivo Central (TPAC) não é amplamente conhecido. Pesquisas recentes mostraram que a OM pode ter efeitos persistentes na via auditiva, especialmente se surge nos primeiros anos de vida. Esse artigo mostrará os impactos desse quadro no sistema auditivo e sua relação com o TPAC.

Utilizando da Imitanciometria na rotina da avaliação audiológica

TRANSMISSÃO DO SOM O processo de transmissão do som, a energia sonora / acústica se propaga pelo meato acústico externo e incide sobre a membrana timpânica que vibra com o mesmo padrão vibratório do estímulo sonoro, até chegar à cóclea. Porém, nem toda energia sonora que incide na membrana é absorvida, parte é refletida, oContinuar lendo “Utilizando da Imitanciometria na rotina da avaliação audiológica”

Você sabia que o Fonoaudiólogo pode medir seu zumbido através de testes auditivos?

Mas por que medir o zumbido? A avaliação audiológica do zumbido, através de testes específicos para caracterização do sintoma, é importante para: As medidas permitem identificar a frequência e a intensidade percebidas do zumbido, através do teste chamado acufenometria, e mostrar possíveis efeitos da estimulação sonora no zumbido, que são investigados nos testes para verificaçãoContinuar lendo “Você sabia que o Fonoaudiólogo pode medir seu zumbido através de testes auditivos?”

LIBRAS e Implante Coclear: A diversidade da surdez

A surdez acomete milhares de pessoas, crianças e adultos, ao redor do mundo e com o avanço das áreas de medicina, engenharia e tecnologia foi possível fornecer opções para que o sujeito tenha acesso ao mundo dos sons mesmo após ser diagnosticado com uma perda auditiva. Dentre os dispositivos mais comuns que podem ser escolhidosContinuar lendo “LIBRAS e Implante Coclear: A diversidade da surdez”

Benefícios da Bimodalidade

Atualmente os dispositivos auditivos mais utilizados na (re)habilitação auditiva são1:  – Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) – Implante Coclear (IC) No entanto, o AASI por ser um amplificador sonoro, necessita de uma reserva coclear suficiente para uma boa percepção de fala. Os indivíduos que apresentam uma perda auditiva de grau severo e/ou profundo bilateralContinuar lendo “Benefícios da Bimodalidade”

Fonoaudiologia bilíngue

A fonoaudiologia e a surdez têm uma história de longa data. Inicialmente, conhecida como uma profissão que colocava o sujeito dentro de normas exigidas pela sociedade, a fonoaudiologia teve como primeira abordagem o oralismo. O oralismo propõe que o sujeito surdo escute de alguma forma e foca na linguagem oral, ou seja, é proposto queContinuar lendo “Fonoaudiologia bilíngue”

Exames auditivos nas diferentes fases da vida – Infância, adultos e idosos

O Relatório Mundial sobre Audição, publicado em 2021 pela Organização Mundial da  Saúde (OMS), indica que mais de 1,5 bilhão de pessoas passam por algum declínio em sua  capacidade auditiva, a diminuição na audição que não é considerada deficiência, mas que pode  evoluir com o tempo, durante a vida e, deste total, ao menos 430Continuar lendo Exames auditivos nas diferentes fases da vida – Infância, adultos e idosos

A importância do diagnóstico audiológico na terapia de fala e linguagem

“A linguagem é onipresente na vida de todos os homens. Cerca-nos desde o despertar da consciência, ainda no berço; segue-nos durante toda a nossa vida, em todos os nossos atos, e acompanha-nos até na hora da morte. Sem ela, não se pode organizar o mundo do trabalho, pois é ela que permite a cooperação entre os seres humanos e a troca de informações e experiências. Sem ela, o homem não pode conhecer-se nem conhecer o mundo. Sem ela não se pode aprender. Sem ela não se podem expressar sentimentos. Sem ela, não se podem imaginar outras realidades, construir utopias e sonhos.”