Mapeamento do Implante Coclear

O implante coclear é um dispositivo eletrônico biomédico, biocompatível e durável,  desenvolvido para realizar a função das células ciliadas que estão danificadas ou não estão  presentes, transformando a energia sonora em baixos níveis de corrente elétrica, e proporcionar  a estimulação elétrica das fibras remanescentes do nervo auditivo (Costa AO,1998). O processo  pelo qual é determinadoContinuar lendo “Mapeamento do Implante Coclear”

Preservação Auditiva e Implante Coclear

Como bem sabemos,  o implante coclear (IC) é indicado para restaurar audição em pacientes com perda audição neurossensorial severa-profunda ,quando os aparelhos auditivos convencionais não são eficazes. Com os avanços contínuos na tecnologia dos implantes cocleares e devido aos excelentes resultados obtidos nos pacientes implantados, os critérios de indicação do IC estão cada vez maisContinuar lendo “Preservação Auditiva e Implante Coclear”

Teleaudiologia: a contribuição do acesso remoto nos casos de implante coclear – uma revisão sistemática

Introdução: A teleconsulta pode ser benéfica em diversos aspectos: social, econômico, terapêutico
e normativo. Na audiologia, a realização da teleconsulta vem sendo bastante estudada em alguns
serviços, principalmente, na programação remota de usuários de Implante Coclear. Objetivo: Investigar
a aplicabilidade, vantagens e desvantagens da teleconsulta em audiologia para os usuários de Implante
Coclear. Método: Trata-se de pesquisa de revisão sistemática em que foram realizadas buscas nas
bases de dados sem limitação de ano. Foram selecionados e incluídos, somente estudos de intervenção
não randomizados, estudos descritivos e estudo de caso. Para leitura na íntegra, foram avaliados os
procedimentos de aplicabilidade da teleconsulta, descrição dos pontos positivos pelos pacientes,
profissional ou entre profissional e paciente, além da descrição de suas desvantagens. Resultados:
Foram incluídos quatorze estudos, da língua inglesa e português do Brasil. Foram encontrados estudos
de seguimento remoto nos seguintes casos: mapeamento, testes de fala (mensurações de níveis T e C),
técnicas e configuração de plataformas remotas e orientações fonoaudiólogicas. Conclusão: Há diversas
maneiras que possibilitam o sucesso do Implante Coclear na teleconsulta como mapeamento e orientações.

COMO FUNCIONAM OS ELETRODOS DO IMPLANTE COCLEAR

Antes de entendermos como funcionam os eletrodos do implante coclear, precisamos conhecer um pouquinho sobre como escutamos.  O sistema auditivo humano é dividido em orelhas externa, média e interna. Na orelha externa, temos o pavilhão auricular, responsável por concentrar a energia acústica que chega aos ouvidos até a entrada do canal auditivo externo. Já aContinuar lendo “COMO FUNCIONAM OS ELETRODOS DO IMPLANTE COCLEAR”

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DE SURDOS ORALIZADOS USUÁRIOS DE IMPLANTE COCLEAR

Tendo em vista que as dificuldades encontrados pelos estudantes surdos oralizados  usuários de implante coclear em relação a uma única abordagem metodológica de  ensino de alfabetização e letramento, pesquisa-se sobre a alfabetização e letramento  de surdos oralizados usuários de implante coclear a fim de identificar a correlação de  quais métodos de alfabetização podem auxiliar na construção do conhecimento  durante o processo de alfabetização e letramento dos estudantes surdos oralizados  usuários de implante coclear, para tanto é necessário comprovar de que forma a  alfabetização e o letramento podem ser trabalhados com os estudantes; analisar a  correlação de métodos de alfabetização, que podem ser trabalhados de forma que  favoreçam o estudante nas práticas sociais de leitura e escrita; descrever o papel do  professor em como promover mediações e intervenções de acordo a combinação das  abordagens metodológicas. Realiza-se então uma pesquisa bibliográfica, descritiva,  exploratória e qualitativa. Diante disso, verifica-se também o papel do professor como  mediador das práticas conduzidas ao aprendizado de seus alunos e o que impõe a  constatação de uma pesquisa com tema, problema e objetivos devidamente atendidos  de forma significativa.

Implante Coclear em idosos

O uso de próteses auditivas (AASI) como terapêutica de reabilitação auditiva é um consenso e a melhora do desempenho cognitivo em idosos naqueles que as utilizam já foi demonstrado na literatura.5,10,20,21 Entretanto, boa parte dessa população idosa surda avançará em seu grau de perda auditiva ao ponto que não mais será eficaz o uso de AASI comum, tornando-se então, candidatos ao implante coclear. A idade, portanto, não deve ser fator limitador para a indicação ao implante coclear.22 

Quais profissionais compõem uma equipe de Implante Coclear?

De acordo com as Portarias, são exigidos infraestrutura adequada, recursos institucionais, fluxos de atendimentos e cirurgias, e uma equipe multiprofissional devidamente qualificada, mas a estruturação de um Centro de Implante Coclear deve ser adaptada à realidade de cada serviço.

Crianças usuárias de implante coclear com pais surdos: discussão sobre bilinguismo

É comum que quando essas famílias tem um filho surdo, em tempos como hoje, em que existem avanços tecnológicos, surja o interesse de pesquisar melhor sobre o IC e entender o que ele pode fornecer ao seu bebê. A possibilidade de se comunicar oralmente com o auxílio deste dispositivo é o interesse de muitos pais surdos a seus filhos.

Implante Coclear em pacientes com perda auditiva unilateral

O começo da perda auditiva unilateral costuma ser de forma abrupta e idiopático, por mínima que seja a assimetria entre as orelhas, tem o poder de proporcionar uma deficiência auditiva, principalmente no que se refere a situações com inúmeras pessoas falando ao mesmo tempo. Consequentemente, a perda total ou quase total da audição em um ouvido proporciona dificuldades na escuta na maioria das situações diárias dos sujeitos.

Surdez súbita

A surdez súbita se caracteriza como uma surdez neurossensorial de aparecimento rápido, súbito como o próprio nome já diz. Seu acometimento é quase sempre unilateral, acompanhada de zumbidos em aproximadamente 80 por cento dos casos e de tonturas ou vertigens em quase 30 por cento das vezes.