VACINAÇÃO E IMPLANTE COCLEAR

As vacinas preconizadas pelo Ministério da Saúde para pacientes que serão submetidos à cirurgia de implante coclear são: O principal motivo para a vacinação é prevenir a ocorrência de meningite, pois os pacientes usuários de implante coclear têm um risco 30 vezes maior de contrair meningite do que a população geral. O feixe de eletrodosContinuar lendo “VACINAÇÃO E IMPLANTE COCLEAR”

VOZ EM USUÁRIOS DE IMPLANTE COCLEAR

O sistema auditivo é um componente imprescindível para o desenvolvimento e a manutenção da qualidade da voz e da fala. O feedback auditivo oferece retorno da nossa  própria voz durante o processo de comunicação e é bastante importante também para os  ajustes na voz que realizamos da infância até a fase adulta. A deficiência auditivaContinuar lendo “VOZ EM USUÁRIOS DE IMPLANTE COCLEAR”

Implante Coclear e tontura

Pacientes com implante coclear (IC) podem sim ter tontura, sabia? A associação entre as vias auditiva e vestibular já está bem estabelecida. Estudos eletrofisiológicos histológicos, técnicas de imagem, dissecção de osso temporal e microscopia eletrônica comprovam a existência de cruzamento de fibras das vias auditiva e vestibular no final do conduto auditivo interno. Portanto, oContinuar lendo “Implante Coclear e tontura”

LIBRAS e Implante Coclear: A diversidade da surdez

A surdez acomete milhares de pessoas, crianças e adultos, ao redor do mundo e com o avanço das áreas de medicina, engenharia e tecnologia foi possível fornecer opções para que o sujeito tenha acesso ao mundo dos sons mesmo após ser diagnosticado com uma perda auditiva. Dentre os dispositivos mais comuns que podem ser escolhidosContinuar lendo “LIBRAS e Implante Coclear: A diversidade da surdez”

Benefícios da Bimodalidade

Atualmente os dispositivos auditivos mais utilizados na (re)habilitação auditiva são1:  – Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI) – Implante Coclear (IC) No entanto, o AASI por ser um amplificador sonoro, necessita de uma reserva coclear suficiente para uma boa percepção de fala. Os indivíduos que apresentam uma perda auditiva de grau severo e/ou profundo bilateralContinuar lendo “Benefícios da Bimodalidade”

BENEFÍCIOS DO USO DO IMPLANTE COCLEAR E DO APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA NA ORELHA CONTRALATERAL EM INDIVÍDUOS PÓS-LINGUAL

A deficiência auditiva é um problema prevalente na população mundial podendo afetar a personalidade e o convívio social, principalmente em adultos e idosos devidos ao isolamento social, depressão e reclusão (OYANGUREN et al., 2010; BITTENCOURT et al., 2012;).

A utilização do aparelho de amplificação sonora individual (AASI) em indivíduos com deficiência auditiva de grau severo ou profundo geralmente tem poucos benefícios, em virtude da pouca informação auditiva que recebem decorrente da extensa lesão coclear (BANHARA et al., 2004). A comunicação desses indivíduos pode ser limitada, uma vez que não conseguem discriminar os sons da fala e compreender sentenças, são somente capazes de ouvir sons em alta intensidade, como: sinais de alarmes, sirenes etc. Portanto, nesses casos uma opção para aperfeiçoar as habilidades da audição e melhorar a comunicação é o implante coclear (IC) (OYANGUREN et al., 2010; BITTENCOURT et al., 2012;).

Habilitação de Implante Coclear em crianças não oralizadas

A audição é um dos sentidos mais primordiais para toda a vida e é muito importante para o desenvolvimento na primeira infância. A deficiência auditiva caracterizada pela perda total ou parcial da audição, influencia diretamente no desenvolvimento da criança, na qualidade e em todos os âmbitos da vida (emocional, psicológico, social e intelectual).

A importância do Fonoaudiólogo na cirurgia do Implante Coclear

O implante coclear (IC) é o tratamento mais adequado para a reabilitação da perda sensorioneural severa e profunda bilateral que não apresenta mais benefícios com o Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASI). Para a adequada percepção sonora é importante a programação de cada eletrodo para que os níveis mínimos e máximos de estimulação elétrica em cada um deles ofereçam uma área dinâmica elétrica consistente.