Teleaudiologia: a contribuição do acesso remoto nos casos de implante coclear – uma revisão sistemática

Introdução: A teleconsulta pode ser benéfica em diversos aspectos: social, econômico, terapêutico
e normativo. Na audiologia, a realização da teleconsulta vem sendo bastante estudada em alguns
serviços, principalmente, na programação remota de usuários de Implante Coclear. Objetivo: Investigar
a aplicabilidade, vantagens e desvantagens da teleconsulta em audiologia para os usuários de Implante
Coclear. Método: Trata-se de pesquisa de revisão sistemática em que foram realizadas buscas nas
bases de dados sem limitação de ano. Foram selecionados e incluídos, somente estudos de intervenção
não randomizados, estudos descritivos e estudo de caso. Para leitura na íntegra, foram avaliados os
procedimentos de aplicabilidade da teleconsulta, descrição dos pontos positivos pelos pacientes,
profissional ou entre profissional e paciente, além da descrição de suas desvantagens. Resultados:
Foram incluídos quatorze estudos, da língua inglesa e português do Brasil. Foram encontrados estudos
de seguimento remoto nos seguintes casos: mapeamento, testes de fala (mensurações de níveis T e C),
técnicas e configuração de plataformas remotas e orientações fonoaudiólogicas. Conclusão: Há diversas
maneiras que possibilitam o sucesso do Implante Coclear na teleconsulta como mapeamento e orientações.

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DE SURDOS ORALIZADOS USUÁRIOS DE IMPLANTE COCLEAR

Tendo em vista que as dificuldades encontrados pelos estudantes surdos oralizados  usuários de implante coclear em relação a uma única abordagem metodológica de  ensino de alfabetização e letramento, pesquisa-se sobre a alfabetização e letramento  de surdos oralizados usuários de implante coclear a fim de identificar a correlação de  quais métodos de alfabetização podem auxiliar na construção do conhecimento  durante o processo de alfabetização e letramento dos estudantes surdos oralizados  usuários de implante coclear, para tanto é necessário comprovar de que forma a  alfabetização e o letramento podem ser trabalhados com os estudantes; analisar a  correlação de métodos de alfabetização, que podem ser trabalhados de forma que  favoreçam o estudante nas práticas sociais de leitura e escrita; descrever o papel do  professor em como promover mediações e intervenções de acordo a combinação das  abordagens metodológicas. Realiza-se então uma pesquisa bibliográfica, descritiva,  exploratória e qualitativa. Diante disso, verifica-se também o papel do professor como  mediador das práticas conduzidas ao aprendizado de seus alunos e o que impõe a  constatação de uma pesquisa com tema, problema e objetivos devidamente atendidos  de forma significativa.

A importância do apoio familiar para a reabilitação auditiva – pequenas atitudes que ajudam muito a comunicação

A família precisa estar plenamente unida e engajada no processo terapêutico. Enquanto os terapeutas são apenas agentes de apoio, a família é o agente modificador da realidade das crianças (Bevilacqua, 1985), uma vez que a maior parte do tempo a criança está inserida no seio familiar e não no ambiente terapêutico.
Os pais e/ou cuidadores devem estar cientes que não é apenas colocar o AASI ou IC que tudo se resolverá. Todos que interagem com a criança precisam internalizar estratégias que auxiliem no desenvolvimento das habilidades auditivas e de linguagem.

Hero Adesivos

Em outubro de 2016, nosso filhinho Davi, então com 3 anos de idade, começou a usar aparelhos auditivos nas duas orelhas. Apesar dos aparelhos terem um design limpo e anatômico, queríamos deixá-los mais divertidos, bonitos e exclusivos, combinando com o jeito alegre e com a idade do Davi. Sendo assim, desenvolvemos vários adesivos com desenhosContinuar lendo “Hero Adesivos”

Medo, resiliência e surdez em tempos de pandemia

O medo é inerente à vivência da surdez. A pessoa que convive com a falta ou a diminuição da audição, sentido diretamente relacionado à nossa capacidade de apreender o mundo e nos comunicarmos, lida com essa emoção diariamente. O medo aparece em diferentes situações: medo de não entender o que é dito e assim perder alguma informação ou responder algo sem sentido dentro daquele contexto, medo de ser visto como incapaz devido ao preconceito da nossa sociedade em relação às pessoas com deficiência, medo de não conseguir emprego, medo de ter dificuldade nos relacionamentos, medo de não ter acessibilidade e se sentir excluído, etc…

Ei, sou surda sim!

Quando finalmente recebi o diagnóstico de Perda Auditiva Bilateral Neurossensorial Simétrica Idiopática. Simétrica porque a perda é igual em ambos os ouvidos e idiopática por ser de causa desconhecida. Na época eu não sabia exatamente o que tudo isso significava. Lembro de chegar em casa e contar aos meus pais que logo disseram que os médicos (uma junta médica de especialistas) estavam equivocados e que eu estava fingindo, e possivelmente forjei os exames, como se isso fosse de fato possível. Agora em 2021 descobri finalmente a causa da minha surdez, depois de realizar o exame de Eletrococleografia foi identificado que tenho a doença de Meniérie, o que torna a minha surdez progressiva.

A importância do Intérprete de Libras na área da saúde

As instituições públicas e empresas prestadoras de serviços e assistência à saúde precisam ter um atendimento e tratamento adequado ao surdo, de acordo com as normas legais em vigor. Hospitais públicos, clínicas, laboratórios e empresas prestadoras de serviços da saúde em geral deverão obrigatoriamente dispor de um intérprete de Libras para facilitar a comunicação entre o surdo e o médico, para que haja um atendimento claro e eficaz.

Planos de saúde: Como funciona a cobertura de cirurgia de Implante Coclear?

Entre os candidatos à cirurgia de implante coclear, uma das dúvidas mais comumente feitas é relacionada à cobertura, pelas operadoras de saúde, desse procedimento cirúrgico. A dúvida está relacionada ao valor desse procedimento – que pode passar de R$ 100.000,00 (cem mil reais).
Em primeiro lugar, é importante destacar que a referida cirurgia, considerada como uma das que mais trazem qualidade de vida ao paciente, está inclusa na cobertura mínima obrigatória dos planos de saúde. Essa cobertura é periodicamente revista pela Agência Nacional de Saúde (ANS) e pode ser consultada no chamado Rol de Procedimentos.

Binauralidade: O que é e sua importância para o desenvolvimento de linguagem

A binauralidade nada mais é do que o input auditivo que chega para as duas orelhas, mas além disso, ela também envolve a capacidade do sistema auditivo nervoso central (SNAC) em somar, analisar e integrar estas informações para que posteriormente ocorra o processamento auditivo binaural, facilitando a compreensão de diferentes sons. Com isso o indivíduo estará apto a se comunicar em ambientes com diferentes fontes sonoras, mesmo com ruído excessivo, e possibilita uma comunicação eficiente.
Quando há perda auditiva, os mecanismos binaurais, necessários para o desenvolvimento auditivo e de linguagem, não acontecem, e por isso interferem no aprendizado e desenvolvimento de linguagem oral, no caso de crianças. Quando a privação sensorial passa dos 4 anos de idade o SNAC entende que não é necessário desenvolver habilidades auditivas, e com isso acaba por se tornar “expert” em outras, como por exemplo, tátil ou visual. É a teoria da compensação, na qual o cérebro acaba utilizando o córtex auditivo para receber outros inputs.

Inclusão no Ambiente de Trabalho – Depoimento Paola De Marco

Fui convidada para a difícil missão de escrever sobre minha experiência na posição de comando de uma jovem promissora profissional portadora de deficiência auditiva, que hoje, é também uma grande e querida amiga.