Surdez: do diagnóstico às minhas descobertas pessoais e profissionais

Sobre mim Meu nome é Giovanna Borges Rodrigues, sou de Araguari-MG, tenho 23 anos, nasci com perda auditiva profunda bilateral e meus pais não sabiam que eu tinha este problema. Até que no momento em que eu tinha seis meses de idade, eles começaram a perceber que eu não escutava bem e imediatamente a minhaContinuar lendo “Surdez: do diagnóstico às minhas descobertas pessoais e profissionais”

A importância da representatividade no mundo da surdez

Segundo o dicionário Aurélio (2022) a palavra REPRESENTATIVIDADE significa “Qualidade de representativo. Qualidade de alguém, de um partido, de um grupo ou de um sindicato, cujo embasamento na população faz com que ele possa exprimir-se verdadeiramente em seu nome”. Mas na prática, o que esse conceito quer dizer? Representativa é a expressão dos interesses deContinuar lendo “A importância da representatividade no mundo da surdez”

Relato de experiência de uma enfermeira deficiente auditiva com implante auditivo

Sou Taiane Emyll, Enfermeira formada pela Universidade Estadual do Ceará, com Pós graduação em Enfermagem Cardiovascular e Hemodinâmica, atualmente trabalho como Enfermeira assistencial de posto cirúrgico em um hospital particular de Fortaleza. Tenho perda auditiva neurossensorial profunda no ouvido direito devido a meningite aos 4 anos de idade e perda moderada condutiva no ouvido esquerdo desde 24 anos devido a otites (infecções no ouvido) de repetição. E desde meus 28 anos sou usuária de implante auditivo ancorado ao osso bilateral.

Do outro lado da mesa: Como a fonoaudiologia mudou minha vida

Olá, leitor! Meu nome é Gabriel, tenho 24 anos e sou surdo oralizado, ou seja, nasci ouvinte e em algum momento da minha vida desenvolvi a surdez. Isso aconteceu em 2017, quando eu tinha 19 anos. Tive uma surdez súbita, literalmente dormi ouvindo e acordei surdo. Nessa época eu cursava Direito e nem imaginava oContinuar lendo “Do outro lado da mesa: Como a fonoaudiologia mudou minha vida”